Próximo de Michel Temer (MDB), vice da Caixa Roberto Derziê preocupa Planalto

Entre os quatro vice-presidentes da Caixa afastados do banco, um causa preocupação maior no Palácio do Planalto: Roberto Derziê Sant'Anna (Governo). Isso porque é apontado como um nome muito próximo ao próprio presidente Michel Temer.


Por Gerson Camarotti | G1

Derziê ascendeu para cargos de comando na Caixa por indicação do PMDB, ainda no governo Dilma Rousseff, informa o repórter Lucas Salomão, do G1. Na gestão petista, Derziê já tinha ocupado uma das vice-presidências da Caixa.


Resultado de imagem para Roberto Derziê Sant'Anna
Roberto Derziê, vice-presidente da Caixa (Foto: Agência Brasil)

Mas, em abril de 2016, após o partido de Temer anunciar que deixaria a base aliada de Dilma, a ex-presidente decidiu exonerá-lo.

Antes, ele deixou a vice-presidência de Operações Corporativas do banco em 2015 para ser secretário-executivo de Temer na Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República. Na ocasião, Temer havia assumido a coordenação política do governo Dilma.

Após o impeachment de Dilma, ele retornou à Caixa em dezembro de 2016 como vice-presidente de Governo do banco, onde permanece até hoje.

Reportagem do G1 informa que uma investigação independente conduzida por um escritório de advocacia encontrou indícios de que Derziê teria fornecido informações sobre operações em trâmite do banco ao presidente Temer e ao ministro da Secretaria-Geral, Moreira Franco e atendido a pedidos dos dois.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas