Denunciada, mãe de Wesley Safadão renuncia a cargo público 'para se dedicar à carreira do filho'

Mãe do cantor foi eleita em 2016 vice-prefeita de Araçoiaba, no Ceará, e chegou a ser afastada do cargo após denúncia de abuso de poder.


Por G1 CE


A mãe do cantor Wesley Safadão e vice-prefeita de Aracoiaba, no Ceará, Dona Bil, renunciou nesta terça-feira (12) ao cargo, afirmando que vai "se dedicar à carreira do filho". A vice-prefeita da cidade chegou a ter o mandado cassado após denúncia de abuso de poder e voltou ao cargo por meio de uma decisão liminar do TSE.

Dona Bil, ex-vice-prefeita de Aracoiaba, ao lado do filho, Wesley Safadão (Foto: Arquivo pessoal)
Dona Bil, ex-vice-prefeita de Aracoiaba, ao lado do filho, Wesley Safadão (Foto: Arquivo pessoal)

Na carta de renúncia, ela não cita as denúncias, alegando apoio ao filho como causa. "Deixo claro, neste ato de renúncia, que a motivação de minha renúncia se reveste, única e exclusivamente, na necessidade de cuidar de forma mais próxima dos negócios da família e de forma mais especial dedicar meu carinho à carreira do meu filho, o cantor Wesley Safadão."

Ainda no documento de renúncia, entregue à Câmara Municipal de Aracoiaba, ela diz que manterá atuação na política municipal, mas sem exercer cargos elegíveis. "Agradeço a todos que apoiaram minha carreira política, ao passo que afirmo e reafirmo que continuarei junto com as lideranças na busca incessante e intransigente dos interesses do povo de Aracoiaba", afirma.

Mesmo com a renúncia, o processo contra ela e o prefeito da chapa vencedora da eleição municipal de 2016 em Aracoiaba segue em andamento no TSE.

Abuso de poder


O Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) cassou em janeiro deste ano, por unanimidade, o prefeito eleito em Aracoiaba em 2016, Antônio Cláudio, e a vice de sua chapa, Maria Valmira Silva de Oliveira, conhecida como Dona Bill. O tribunal entendeu que houve abuso de poder no processo eleitoral de 2016 quando a chapa fez doações de quatro ambulâncias em maio de 2016.

Na época, a chapa negou o crime. "Nós não cometemos nenhum crime. Foram quatro ambulâncias que o município recebeu de uma empresa que foram repassadas para as comunidades. Eles alegam que isso causou um desequilíbrio, mas não houve, tanto que eu perdi em duas regiões que receberam os veículos", afirmou prefeito eleito, Antônio Cláudio.

A relatora do recurso, desembargadora Nailde Pinheiro Nogueira, considerou que "houve sim o abuso de poder político e econômico, mediante a doação de veículos (ambulâncias) para a comunidade com as divulgações sabidamente inverídicas de que eram provenientes de recursos próprios da vice-prefeita reeleita com o aval do atual prefeito, com o propósito de captar votos".

Postar um comentário

Postagens mais visitadas