Postagem em destaque

Pelegos perdem negócio bilionário com a reforma trabalhista, daí o pânico

Sindicalistas não querem perder R$ 4 BILHÕES do Imposto Sindical


Cláudio Humberto | Diário do Poder

Não admira que pelegos estejam nervosos com a reforma trabalhista, com greves e passeatas, e até se aliando a políticos que atacavam, como Renan Calheiros. É que perderão o negócio que rende quase R$ 4 bilhões a 16,4 mil entidades sindicais, a maioria de pouca expressão e muita gula. A reforma extingue a contribuição obrigatória, descontada dos trabalhadores, que em 2016 rendeu R$59,8 milhões somente à CUT, braço sindical do PT. A Força Sindical embolsou R$46,5 milhões. 


PROTESTOS SÃO CONTRA PERDA DOS R$ 4 BILHÕES DO IMPOSTO SINDICAL

Sindicalistas gastam como querem recursos subtraídos dos salários, pagando cachê a “manifestantes” ou metendo a grana no bolso.

O então presidente Lula vetou lei aprovada no Congresso que submetia entidades sindicais à fiscalização e prestação de contas, é claro.

Até centrais sindicais desconhecidas ganham muito dinheiro. Uma “Nova Central” leva R$ 23,3 milhões, a “CTTB”, R$ 15,3 milhões etc.

Sindicatos dos comerciários de São Paulo faturaram R$31,5 milhões em 2016, e o do Rio de Janeiro R$10,5 milhões.



0