Vereador de Maceió defende Renan Calheiros e chama Eduardo Cunha de 'mártir' (vídeo)

Vereador aliado de Renan pergunta: 'Quem nunca se corrompeu?'


Davi Soares | Diário do Poder

Em uma sessão iniciada por duras críticas ao governador de Alagoas, Renan Filho (PMDB), por causa do pedido de abertura de inquérito para investigá-lo na Operação Lava Jato, o vereador Ronaldo Luz (PMDB) provocou reação de colegas por usar a tribuna da Câmara Municipal de Maceió, nessa quinta-feira (16), para defender qualificar a corrupção como fato comum à classe política e chamar o deputado federal cassado Eduardo Cunha (PMDB-SP) de mártir.


10º mais votado em na capital de Alagoas diz que Cunha foi punido de forma extrema e severa, perdendo o seu mandato e sendo preso (Foto: Ascom CMM)

Ronaldo Luz defendia seus aliados Renan Filho e o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) das suspeitas de corrupção levantadas pelo Ministério Público Federal (MPF), quando questionou aos colegas de plenário quem nunca se corrompeu. E resumiu a “uma mentira” a série de acusações do MPF que, por exemplo, pede a Cunha devolução de 77,5 milhões de dólares desviados no esquema investigado na Lava Jato e o denunciou por corrupção passiva, lavagem e evasão de divisas.

“Eu pergunto aos senhores, nesse mundo político, quem foi que nunca mentiu? Quem foi que nunca errou? Quem foi que nunca pecou? Quem foi que nunca se corrompeu e nunca foi corrompido?”, disse Ronaldo Luz, que vive no mundo político desde que se tornou suplente de vereador em 2012 e foi eleito em 2016 com 8.216 votos, na 10ª colocação entre 21 eleitos.

Para o vereador aliado dos Calheiros, Cunha foi punido de forma “extrema e severa”, perdendo o seu mandato e sendo preso. Em seu discurso, ele demonstra ter consciência do quanto é de se estranhar sua visão sobre o ex-presidente da Câmara dos Deputados, elogiado por ter conduzido o início do processo de impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff (PT) e “trazido benefícios” para o Brasil.

“Talvez muita gente ache até estranho, mas Eduardo Cunha, pra mim, ainda continua sendo um grande líder político e que eu considero até um mártire [sic], pela punição extrema e severa que foi feita contra ele. Eu digo com toda certeza, porque, ali dentro daquele Congresso não existe nenhum daqueles deputados que tivesse a força, a vontade, a experiência e a decisão de continuar com o processo que ocorreu, do impeachment. E que hoje muita gente se beneficia dessa perda de mandato da presidente Dilma. E o ex-deputado encontra-se preso, só porque mentiu. Quem é que não mente, nesse mundo político? Atire a primeira pedra quem não tiver pecado”, protestou Ronaldo Luz.

Os vereadores Siderlane Mendonça (PEN), Francisco Sales (PPL) e Eduardo Canuto (PSDB) reagiram, contestando a fala do colega de plenário e afirmando nunca se corromperam e criticando a generalização da fala do colega.

Em seguida, Ronaldo Luz disse que “não quis aplicar a palavra corromper só na política”. E confirmou sua opinião de que foi exagero a punição a Cunha. “A Câmara Federal perdeu uma expoência política”, sentenciou.

Padrinho do vereador e médico Ronaldo Luz, Renan Filho teve R$ 9,2 milhões em doações de campanha feitas por nove empresas enroladas com a Operação Lava Jato, nas prestações de contas de sua campanha de 2014. O governador diz estar tranquilo por “sempre ter pautado a vida pública pela honestidade”.

Veja o discurso do vereador e o trecho em que ele exalta Eduardo Cunha, a partir do segundo minuto do vídeo da TV Câmara de Maceió:




Postar um comentário

Postagens mais visitadas