Postagem em destaque

Pezão cancela nomeação de Solange de Almeida para secretária

Ela iria comandar a recém-criada secretária de Estado de Proteção e Apoio à Mulher e ao Idoso. MPF noticiou governo de que ela já foi condenada por improbidade administrativa.


Por G1 Rio


O governador Luiz Fernando Pezão tornou sem efeito, nesta terça-feira (14), a nomeação, publicada na segunda no Diário Oficial do Estado, de Solange Pereira de Almeida como secretária de Estado de Proteção e Apoio à Mulher e ao Idoso. Solange Almeida é ré na Operação Lava Jato. 

Resultado de imagem para solange de almeida pezão
Solange Almeida (esq.) ao lado do governador Pezão quando era prefeita de Rio Bonito (RJ)

Segundo o governo, a decisão do governador foi tomada após o recebimento de um comunicado do Ministério Público Federal (MPF), com a informação de que Solange de Almeida foi condenada em segunda instância por ato de improbidade administrativa.

Ainda de acordo com o estado, a perda do efeito da nomeação será publicada amanhã (15) no Diário Oficial. O novo titular da Secretaria será nomeado em breve.

Na publicação no D.O. de segunda, Pezão criou a secretaria e nomeou Solange, que é aliada do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB), hoje preso.

Ela é ex-deputada federal e foi prefeita de Rio Bonito (RJ) até o ano passado, quando decidiu não concorrer à reeleição. Quase na mesma época da campanha, o Ministério Público Federal (MPF) apresentou denúncia contra os dois. A peemedebista alega motivos pessoais para ter ficado de fora do pleito.

Cunha foi denunciado sob a acusação de receber US$ 5 milhões para viabilizar a contratação de dois navios-sonda para a Petrobras, cuja fornecedora era a Samsung Heavy Industries Co. A empresa, segundo o MPF, parou de pagar comissões ao operador Júlio Camargo ao fim do contrato e, então, Solange Almeida fez requerimentos na Câmara Federal pedindo investigações sobre Camargo e a Samsung.

A denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR) diz que o texto assinado por ela tinha autoria "material e intelectual" de Cunha e foi feito para fazer pressão por novos pagamentos de propina.

Na segunda-feira, Pezão defendeu a nomeação de Solange e disse que não se pode criminalizar todos os políticos investigados.

"A gente não pode sair criminalizando todo mundo que hoje tem uma acusação, senão, não vai sobrar ninguém. Ela está respondendo a um processo e eu também estou. Assim como eu, ela também tem o direito de se defender. Enquanto não for condenada, acho que ela pode me ajudar muito na administração do estado", disse o governador.

Solange de Almeida afirmou segunda-feira que acha muito desagradável responder aos processos, mas que faz isso de cabeça erguida e tem certeza de sua lisura. Ela ainda não se manifestou depois do anúncio da sua exoneração.


0