Postagem em destaque

Situação está de vaca desconhecer bezerro, e Dilma nega ligação a Cabral

Confusão confirma o ditado: Dilma renega velho aliado Cabral


Diário do Poder

A prisão do ex-governador do Rio Sérgio Cabral deixou a classe política tão atordoada que a situação lembra o velho adágio popular, segundo o qual "a situação está de vaca não reconhecer bezerro". A ex-presidente Dilma Rousseff, por exemplo, mergulhou voluntariamente na confusão ao divulgar nota nota na tarde desta quinta-feira, 17, em que ela rechaça a associação de seu nome ao antigo aliado, preso por corrupção pela Polícia Federal.


 
Apesar de prestigiar durante anos o então governador fluminense e se correspondida, Dilma chega a dizer que Cabral apoiou a eleição de senador Aécio Neves (PSDB-MG), na disputa presidencial em 2014.

"Sérgio Cabral Filho jamais foi aliado da ex-presidenta da República. Tanto é verdade que, nas eleições presidenciais, ele fez campanha para o principal adversário de Dilma nas eleições de 2014: o senador Aecio Neves (PSDB-MG).

Diz a nota também que no processo de impeachment Cabral teria orientado seus liderados no PMDB a votarem favoravelmente ao afastamento dela da Presidência da República", conclui o texto, que não cita os supostos liderados do ex-governador pró-impeachment.


0