Postagem em destaque

Onyx Lorenzoni diz que, se Maia não adiasse votação, parecer seria 'destruído'

Presidente da Câmara adiou análise de projeto anticorrupção para dia 29.

Não há consenso entre partidos sobre item de relatório que trata do caixa 2.


Bernardo Caram e Fernanda Calgaro | G1, em Brasília

O relator do pacote de medidas de combate à corrupção, deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), avaliou nesta quinta-feira (24) que, se o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não tivesse adiado a votação sobre o parecer, o documento seria "destruído". Sem citar nomes, ele disse que estava "tudo armado" para a derrubada do texto.


Resultado de imagem para onyx lorenzoni
Deputado Onyx Lorenzoni (DEM)

A votação do projeto – já aprovado em comissão especial – pelo plenário da Câmara estava prevista para esta quinta. Porém, diante da polêmica gerada em torno do item que trata do caixa 2, o presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), decidiu adiar a votação para a próxima terça (29).

"Estava tudo armado para ser tudo destruído. [Mas] houve uma articulação de muitas pessoas do bem que impediram que isso acontecesse", declarou Onyx Lorenzoni, logo após Rodrigo Maia encerrar a sessão da Câmara.

O relator chegou a listar motivos que, para ele, poderiam levar deputados a tentar derrubar o relatório.

Na avaliação de Onyx, entre as definições do texto que desagradam a alguns colegas estão, por exemplo, melhores condições de atuação do Ministério Público e "endurecimento" das leis.

A polêmica em torno do relatório está relacionada ao item que trata da tipificação do caixa 2, prática que consiste em políticos ou partidos receberem doações e não declará-las à Justiça Eleitoral.

Pela legislação vigente, quem adota esse tipo de prática, que hoje não é crime, é condenado, por exemplo, por lavagem dinheiro.

Há, contudo, uma articulação na Câmara para que o texto explicite que, após a lei entrar em vigor, quem praticou o caixa 2 em eleições passadas será anistiado.



0