Postagem em destaque

Certidão atesta: João Henrique Caldas chefiava a mãe ao denunciar esquema

Certidão atesta nepotismo de vice de comissão anticorrupção


Davi Soares | Diário do Poder

Na última quarta-feira (24), o vice-presidente da comissão que discute as Dez medidas de combate à corrupção na Câmara dos Deputados, João Henrique Caldas, o JHC (PSB), chamou de 'factoide requentado' a divulgação da informação de que ele mantinha a própria mãe lotada em seu gabinete, quando era deputado estadual em Alagoas. Mas o Diário do Poder teve acesso a uma certidão pública que confirma que o deputado federal JHC, candidato a prefeito de Maceió, teve sim, Eudócia Maria de Holanda de Araújo Caldas, sua mãe, à disposição de seu gabinete, na Assembleia Legislativa. 


Deputado federal JHC chamou de factoide situação de sua mãe demonstrada em certidão (Assessoria)

A ex-prefeita de Ibateguara Eudócia Caldas era servidora ativa e “lotada no Gabinete do Deputado João Henrique Caldas”. É o que informa claramente a certidão datada de 22 de outubro de 2013, assinada pelo então diretor-geral da do Poder Legislativo do Estado de Alagoas, Luciano Suruagy Amaral Filho.

O documento confirma a informação veiculada na tarde de terça-feira (24) pela coluna Radar On-line, no site da Revista Veja.

O fato é relevante para o momento político do Brasil, que tem o deputado JHC como segundo parlamentar mais importante do Congresso Nacional a conduzir um projeto sério, fruto de estudo do Ministério Pùblico Federal (MPF) e de órgãos de controle, e proposto por iniciativa popular.

Enfim, o projeto tido como a reenção do combate à corrupção tem como um dos líderes na condução dos debates o então deputado estadual JHC, famoso pelas denúncias de um esquema milionário, imoral e ilegal, que passou algum tempo escondendo a sujeira debaixo de seu próprio tapete, dentro do próprio gabinete e da própria casa.

É mérito de JHC ter denunciado o pagamento gracioso e injustificado de gratificações no caso conhecido como “escândalo da GDE”, na Assembleia Legislativa. Mas é demérito manter a mãe lotada em seu gabinete, enquanto pregada legalidade.

Veja o documento, que chegou até o Diário do Poder com autenticação em cartório datada do último dia 19:


 

Mais suspeitas, mais silêncio

Na última quarta-feira (26), o Diário do Poder lembrou que JHC foi acusado de também lotar seu pai e ex-deputado federal João Caldas, em seu gabinete. O denunciante foi o então presidente da Assembleia, Fernando Toledo, que queria obrigar os pais de JHC a deixar de viver em Brasília e voltar a Alagoas para bater ponto e trabalhar.

Naquele mesmo dia, a nota de JHC direcionada pela assessoria de JHC apenas ao site da Veja disse que “a mãe do deputado é servidora pública de carreira, tendo ingressado nos quadros funcionais no Estado após concurso público, muito antes, inclusive, do nascimento do deputado e jamais foi lotada em seu gabinete”.

Depois de chamar a informação de Radar On-Line de “mentira e leviana acusação”, a nota disse que o deputado federal engajado no combate à corrupção se colocava “à disposição da sociedade alagoana para prestar qualquer informação necessária ao bom termo desse ou qualquer outro episódio envolvendo seu nome”.

Seis horas antes da publicação desta novidade sobre o fato, o Diário do Poder entrou em contato com a assessoria do candidato, encaminhou a imagem da certidão e pediu os esclarecimentos prometidos. Mas nenhuma resposta foi dada, além de promessas de resposta. Nem sobre o caso da mãe, nem sobre o caso do pai de JHC, questionados três dias antes.


0