Justiça conclui fase de depoimentos dos réus da Operação Publicano

Desde fevereiro, foram ouvidos 50 réus da primeira fase da operação.

Juiz responsável pelo caso acredita que primeiras sentenças saem em julho.


Do G1 PR, com informações da RPC Londrina

Devem sair em julho deste ano as primeiras sentenças da Operação Publicano, que investiga um esquema de corrupção na Receita Estadual. A estimativa é do juiz responsável pelos processos desse caso que está completando um ano. A fase de audiências terminou nesta sexta-feira (15).




Nos depoimentos à Justiça teve de tudo. Rostos compenetrados, orações, choro, a confirmação de muitas acusações e a negação de outras. “Faz parte do exercício da ampla defesa, e o Ministério Público esperava que os réus negassem as imputações em juízo”, diz a promotora Leila Schimiti.

Ao todo, o juiz responsável pelos processos, Juliano Nanuncio, interrogou 50 réus da primeira fase da Operação Publicano. Entre eles, Márcio de Albuquerque Lima, ex-inspetor geral de fiscalização, apontado pelo Ministério Público como chefe do esquema de cobrança de propina na Receita Estadual. No depoimento prestado essa semana, Márco Lima negou todas as acusações.

Além dos 50 já ouvidos, mais 23 réus desse caso, que moram em outras cidades, estão sendo ouvidos por meio de cartas precatórias.

Depois dessa etapa dos interrogatórios, os advogados ainda podem pedir novas investigações, perícias em documentos e acareações, se for o caso. O juiz vai analisar os pedidos e decidir se aceita ou não. Depois disso, o processo entra na fase das alegações finais.

“É possível imaginarmos que a sentença possa ser prolatada no início do segundo semestre deste ano”, conclui o juiz Juliano Nanuncio.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas