Governo estuda dividir a Petrobras

Marcelo Loureiro | O Globo

O fracasso da oferta de dívida na semana passada fortaleceu o projeto de cindir a Petrobras. Duas fontes confirmam que as cúpulas da empresa e do Planalto, e os ministérios da Fazenda e do Planejamento estudam uma proposta nesse sentido. A ideia é colocar metade do endividamento em uma nova empresa, que ficaria com os ativos do pré-sal.



Restam poucas opções à Petrobras, explica a fonte do mercado. Levantar dinheiro com a venda de ativos está difícil. Investidores, desconfiados com o desequilíbrio financeiro da companhia, estão cobrando caro para emprestar. Outras estatais, como o Banco do Brasil, conseguem dinheiro mais barato. Essa diferença, defende a fonte, será menor se a dívida da Petrobras for reduzida pela metade, com outra empresa assumindo as obrigações de investimento do pré-sal.

O projeto da divisão é mais amigável com o mercado do que, por exemplo, fechar o capital da companhia. Daria a impressão de que o governo se aproveitou do cenário para comprar barato. O mercado também cobraria mais caro para emprestar a uma empresa fechada e menos transparente. A fonte lembra que, listada na bolsa ou fora dela, a Petrobras precisará de novos financiamentos.

Pelo projeto, os acionistas da Petrobras terão a opção de receber ações da nova empresa. Outro ponto a favor é que, no primeiro momento, o governo não vai desembolsar recursos.

Com dívidas em torno de R$ 500 bilhões, a Petrobras vale R$ 116 bi na bolsa.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas