Líder do PSDB pede abertura de inquérito contra ministro de Comunicação

Daiene Cardoso | Estadão Conteúdo

O líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), protocolou nesta sexta-feira, 20, representação junto à Procuradoria da República do Distrito Federal pedindo a abertura de inquérito civil contra o ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom), Thomas Traumann. O tucano alega que o ministro praticou improbidade administrativa por produzir um documento cujo objetivo, segundo ele, seria promover a imagem pessoal da presidente Dilma Rousseff dentro de um contexto político-eleitoral.


Thomas Traumann

O texto foi revelado pelo portal Estadao.com na terça-feira, 17. O documento afirma que os apoiadores do governo estão levando uma "goleada" da oposição nas redes sociais e recomenda o investimento massivo em publicidade oficial na cidade de São Paulo.

Na avaliação do líder, Traumann usa a máquina administrativa e os recursos públicos em favor do projeto de poder do PT. "Pelo que se extrai do referido documento, em nenhum momento as ações da Secom visavam beneficiar o cidadão brasileiro, mas sim fazer com que a presidente Dilma se viabilizasse politicamente e eleitoralmente", afirmou o tucano.

Para Sampaio, ao produzir o documento, o ministro extrapolou as atividades da Secretaria, que deveriam estar relacionadas às atribuições da presidente da República. "Esse proceder do ministro ofende os princípios da impessoalidade e da legalidade e, por consequência, faz com que ele incorra no disposto no artigo 11 da lei 8.429/92", finalizou. Se condenado, o ministro poderá perder a função pública. O ministro está em férias.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas