Postagem em destaque

Vereador responde a processo sobre piada com avião de Eduardo Campos

Câmara de Limeira apura se vereador brincou com morte de presidenciável.
Tigrão (PMDB) nega, mas será convocado a falar sobre postagem de foto.


Do G1 Piracicaba e Região

A Corregedoria da Câmara de Limeira (SP) avalia se houve quebra de decoro do vereador André Henrique da Silva, o Tigrão (PMDB). Ele responde a processo administrativo na Casa porque no dia 13 de agosto, data do acidente aéreo que matou o candidato à Presidência Eduardo Campos (PSB), foi publicada no perfil do parlamentar no Instagram uma foto de Dilma Rousseff (PT) com a frase "Mandei derrubar mesmo e se reclamar derrubo o do Aécio [Neves]".


Tigre é uma das peças que vão compor o estilo Tigro, a lá Clodovil, em seu gabinete  (Foto: Divulgação)Vereador Tigrão em seu gabinete na Câmara de Limeira (Foto: Divulgação)

Até o final do mês, o vereador deve ser convocado a falar sobre o assunto na Câmara, mas a data ainda não foi definida. Na última terça-feira (16), o Legislativo recebeu uma carta de defesa de Tigrão, que nega ter divulgado a imagem na rede social e afirma que teve o celular extraviado no dia da publicação. O processo contra o parlamentar foi aberto em 4 de setembro, com publicação em jornal oficial. A investigação foi iniciada neste mês porque, segundo a Corregedoria, versões diferentes sobre o caso começaram a ser divulgadas.

Na carta, recebida pelo vereador corregedor José Eduardo Monteiro Júnior, o Ju Negão (PSB), Tigrão afirmou não ser o autor da postagem e dos comentários. Ele escreveu que participou de compromissos na data do acidente de Campos, entre eles a realização de ouvidoria com moradores do Condomínio Recanto dos Pássaros.

Ainda no documento enviado à Corregedoria, o vereador afirmou que somente no período da noite de 13 de agosto, voltou ao residencial para buscar o carro e percebeu o extravio do aparelho telefônico. “Encontrei o meu celular em uma mureta, sendo que não curti ou comentei a foto postada.” Ele alegou ainda que, no dia seguinte, tentou excluir a imagem da rede social. “Pedi ajuda para apagar a postagem, até porque o meu celular não possui senha de desbloqueio para entrar em qualquer aplicativo no aparelho.”

Versões diferentes

A carta de defesa do vereador Tigrão é analisada pela Corregedoria da Câmara. A assessoria de imprensa de Ju Negão informou, em nota, que devido a diferentes versões dadas antes do envio da carta, o corregedor vai ouvir o depoimento de Tigrão até o final de setembro. A primeira versão dada por Tigrão, conforme Ju Negão, foi a de que ele teria publicado a foto sem querer, a segunda era que outras pessoas teriam feito a postagem com o celular do vereador. Dez dias depois do ocorrido, Tigrão registrou boletim de ocorrência sobre o extravio do aparelho.

Relatório e depoimento

"Estamos terminando a análise da carta de defesa. O próximo passo da investigação é ouvir o Tigrão", disse o vereador corregedor. A comissão que apura o caso tem até dezembro para elaborar um relatório final sobre a investigação. Tigrão informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não vai se manifestar até ser convocado para depor na Câmara.

0