Secretário de Meio Ambiente admite que caçava antes de assumir cargo

Polícia achou 5 kg de carne de capivara na casa do político em Arceburgo.
Ele afirma que avisou o prefeito de que não queria assumir a pasta.


Do G1 Sul de Minas

O secretário do Meio Ambiente de Arceburgo (MG), João Carlos Souza Dias, falou pela primeira vez nesta terça-feira (5) sobre a prisão por suspeita de caça ilegal. Durante uma operação da Polícia Militar Ambiental, nesta segunda-feira (4), foram encontrados uma espingarda, munições e cinco quilos de carne de capivara na propriedade do político. João Carlos pagou fiança de um salário mínimo e foi liberado da Delegacia de Monte Santo de Minas (MG).

Secretário de Meio Ambiente de Arceburgo diz que caçava animais antes de assumir cargo (Foto: Reprodução EPTV)Secretário de Meio Ambiente de Arceburgo diz que caçava animais antes de assumir cargo (Foto: Reprodução EPTV)

Segundo o secretário, ele já caçou animais silvestres antes de assumir o cargo, mas nega ter matado a capivara encontrada pelos policiais na casa dele. “Eu tenho cachorros que não são de caça, então eles pegam e matam mesmo. Pra não deixar a carne estragando lá, eu peguei a parte que estava mais ou menos e congelei para dar pros cachorros, mas eu não sou abatedor de bicho, to fazendo o uso de um bicho que está morto”, alega.

Além de João Carlos, outros dois amigos dele também foram detidos. Ao todo foram apreendidos sete armas e cerca de 200 munições. A polícia chegou até o secretário e os outros dois lavradores depois de receber denúncias anônimas.

João Carlos já foi vereador em Arceburgo e há cerca de cinco meses assumiu como secretário de Meio Ambiente. Ele disse que quando recebeu o convite para o cargo avisou o prefeito que no passado teve envolvimento com caça e talvez não fosse a pessoa mais indicada para a função.

“Eu não queria assumir porque eu pensava que meu histórico poderia me prejudicar, porque quando tem política no meio a gente está sujeito a muita intriga. Mas aconteceu e eu vou provar que não abati o bicho”, afirma.

No entanto, o prefeito Antônio Gregório Militão negou que já sabia do histórico do secretário e que ficou surpreso quando soube da apreensão. O prefeito diz que ainda não sabe se vai afastar o secretário, que por enquanto continua no cargo.

“A gente fica chateado porque era uma coisa que a gente não sabia. Vamos ver como vai ficar e tomar as medidas de acordo com o processo. A situação fica um pouco delicada, pois ele é secretário de Meio Ambiente”, explica.

João Carlos e os outros dois detidos vão responder por porte ilegal de arma e crime ambiental relacionado à carne de caça. Segundo a Polícia Militar Ambiental, quem caça capivara ou qualquer animal da fauna silvestre pode responder de três meses a um ano de prisão.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas