Após denúncias de abuso sexual, secretário da Justiça pede exoneração

Almiro Sena entrou com pedido de exoneração na tarde desta terça (3).
Secretário foi denunciado por abuso sexual por servidores, diz MP-BA.


Do G1 BA

O secretário da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos da Bahia (SJCDH), Almiro Sena, solicitou exoneração do cargo ao governador Jaques Wagner, na tarde desta terça-feira (3), conforme a assessoria de comunicação do órgão.

O pedido de exoneração foi feito seis dias após o Ministério Público do Estado (MP-BA) ter protocolado uma ação para investigar denúncias de servidoras da secretaria gerida por Sena, que o teriam acusado de assédio sexual e moral.

A partir de agora, afirma a secretaria, a data de publicação da exoneração no Diário Oficial irá depender do governador da Bahia. Apesar do pedido de exoneração, Almiro Sena nega acusações que são apuradas pelo MP-BA.

Procurada pelo G1, a assessoria do governador não soube confirmar se o pedido de exoneração chegou a Jaques Wagner. O gestor está participando na tarde desta terça (3) da 2ª Conferência Estadual de Proteção e Defesa Civil, em um hotel no Rio Vermelho.

Denúncias

O Ministério Público do Estado da Bahia confirmou que foi protocolada, na tarde da última quarta-feira (28), uma representação contra o secretrário de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Almiro Sena.

O MP-BA investiga denúncias de servidoras da secretaria gerida por Sena, que teriam o acusado de assédio sexual e moral. A representação foi encaminhada para a Corregedoria-Geral do MP-BA. A deputada estadual Neusa Cadore, presidente da Comissão dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa da Bahia, divulgou nota afirmando que a comissão vai acompanhar o caso.

O Partido Republicano Brasileiro (PRB), que indicou Almiro Sena para a pasta, disse em comunicado que a escolha de Sena foi feita "considerando a trajetória pública e profissional do secretário, que não possuía nada que o desabonasse moral e eticamente para a assunção do cargo". E acrescenta que o partido aguardará desenvolvimento da apuração pelos órgãos competentes.

Através de nota, o secretário Almiro Sena se defendeu das acusações:

"A respeito das acusações levianas e covardes acerca de suposto 'assédio sexual e moral', praticado por mim, só tenho a afirmar e reafirmar que jamais pratiquei, pratico ou praticarei atos dessa natureza. Não posso imaginar as insidiosas motivações que podem estar por trás dessas calúnias, difamações e injúrias. Todavia, postulo a imediata apuração dos fatos para que a verdade prevaleça, à luz da lei e da justiça".


Postar um comentário

Postagens mais visitadas