Postagem em destaque

Câmara reserva R$ 181,5 mil para compra de 85 novos celulares

Pregão eletrônico será para aquisição de aparelhos de última geração.
Segundo Diretoria-Geral, celulares serão comprados conforme necessidade.


Nathalia Passarinho
Do G1, em Brasília

A Câmara dos Deputados realizou pregão eletrônico para a compra de 85 novos celulares para membros da Mesa Diretora, da Secretaria de Comunicação da Casa e líderes partidários. Com a redução dos preços oferecida pelas empresas, o custo de todos os aparelhos será de R$ 181.546. O valor da compra, com base nos preços de mercado, seria de R$ 210 mil. O pregão foi lançado nesta quinta-feira (8)

De acordo com o diretor-geral da Casa, Sérgio Sampaio, o dinheiro não será desembolsado de uma vez, já que os celulares serão adquiridos conforme necessidade dos deputados e servidores. Serão reservados recursos para comprar 25 aparelhos de modelo iPhones 5S (Apple), outros 25 de modelo Lumia 1020 (Nokia) e mais 25 do modelo Galaxy S4 (Samsung). Pelo resultado do pregão, os aparelhos custarão de R$ 1.275 a R$ 2.698.

Segundo Sampaio, foram selecionadas quantias dos três modelos para que os integrantes da Mesa Diretora e líderes partidários possam escolher. Os últimos a selecionar, terão que ficar com o modelo que sobrar.

"Compramos de modelos variados para que os deputados possam escolher. Agora, se todos escolherem o mesmo modelo, ficarão com esse aparelho os 25 primeiros. Não vamos comprar mais", disse Sampaio ao G1.

Outros 10 celulares, mais simples, ao custo de R$ 414, serão entregues ao setor de Comunicação Social da Câmara. Desde 2013, os integrantes da Mesa Diretora e os líderes dos partidos têm direito a duas linhas de celulares sem limites de gastos e custo para o parlamentar e que permitem ligações para dentro e fora do Brasil.

Até este ano, a Câmara realizava licitação para a contratação de uma operadora de telefonia, que fornecia os aparelhos. No entanto, como algumas operadoras não funcionam bem em determinados estados, o que gerava reclamação de deputados, a Casa mudou o regime de contratação para poder firmar contratos com diferentes empresas. Assim, a compra dos aparelhos passou a ser feita separadamente.

0