Postagem em destaque

Prefeito Fernando Xavier (PDT), do RS, pede desculpas e se diz 'muito abalado' com polêmica

Em nota, Fernando Xavier (PDT), prefeito de Carlos Barbosa, nega cunho preconceituoso.
Xavier afirmou que 'infestação de baianos e goianos' poderia levar 'fome'.


Do G1 RS

O prefeito de Carlos Barbosa, Fernando Xavier da Silva, pediu desculpas e afirmou que está “muito abalado” com a repercussão em torno de suas declarações sobre o tema de migração para o município da Serra do Rio Grande do Sul.

Durante uma solenidade de apresentação de um festival gastronômico, em 31 de março, Xavier afirmou que uma "infestação de baianos e goianos" poderia levar "fome" para a cidade, que tem menos de 27 mil habitantes e ocupa, atualmente, o 1º lugar no ranking do Índice de Desenvolvimento Socioeconômico (Idese).

Em nota, divulgada nessa segunda-feira (14), o prefeito classifica sua própria fala como “atrapalhada”. Porém, ressalta que não teve má fé e que tenta evitar que pessoas passem necessidade se forem morar em um município com custo de vida “muito alto”. “Eu sei o que é passar por dificuldades. Paguei aluguel por 21 anos antes de conseguir financiar minha casa”, afirma Xavier. “Não posso concordar em ver qualquer cidadão passando necessidades, me dói muito isso”.

O documento oficial da Prefeitura de Carlos Barbosa diz que Xavier sofreu preconceitos de candidatos adversários em eleições municipais, que o chamavam de “criador de cabritos”, “gritão”, “bicho do mato” ou “bombachuco”.

Confira a íntegra da nota


“Peço desculpas pelo ocorrido. Nunca houve maldade em meu discurso e não foi intenção de ofender qualquer cidadão, de qualquer lugar do país. O que quis dizer é que se as pessoas quiserem vir pra cá, podem vir que serão bem recebidas. Minhas colocações foram na intenção de expor que as pessoas venham com condições de se manter, com qualificação, para facilitar a conquista de um emprego, para que vivam com dignidade, porque o custo de vida é muito alto aqui. Não posso concordar em ver qualquer cidadão passando necessidades, me dói muito isso.
Eu sei o que é passar por dificuldades. Paguei aluguel por 21 anos antes de conseguir financiar minha casa. Me entristece ver algumas famílias que vem pra cá em condições de vulnerabilidade social, passando enormes dificuldades. Isso que eu gostaria de evitar, o sofrimento destas pessoas. O Município tenta ajudar o máximo possível, mas temos nossas limitações, e nunca conseguimos auxiliar o suficiente.
Como de costume, minhas falas são sempre espontâneas, nunca faço uso de discursos escritos. Estou muito abalado pela proporção que teve uma fala “atrapalhada”, mas sem má fé. Humildemente reafirmo em público minhas escusas pelo ocorrido e manifesto meu forte apreço pelo povo de qualquer lugar do Brasil, especialmente aos baianos e goianos, citados equivocadamente e de forma infeliz por mim”.
0