Líderes do PT no Congresso divergem sobre CPI do Metrô de SP

Líder do PT na Câmara defende que o partido reflita mais sobre a proposta.
Por outro lado, líder petista no Senado quer acelerar criação de comissão.


Nathalia Passarinho
Do G1, em Brasília

Dois dias após a ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinar a criação de uma CPI exclusiva para investigar denúncias contra a Petrobras, as lideranças do PT na Câmara e no Senado passaram a divergir sobre a melhor estratégia para garantir que as suspeitas de irregularidades no Metrô de São Paulo também sejam apuradas pelo Legislativo.

Enquanto o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), quer acelerar a criação de uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para apurar o chamado caso Alstom, de suposta formação de cartel nas concorrências para obras no Metrô paulista, o líder do partido na Câmara, Vicentinho (SP), defende mais tempo para o partido refletir a pertinência de investigar o caso no parlamento.

Para Vicentinho, a melhor alternativa seria aguardar o plenário do Supremo decidir se mantém ou não a liminar (decisão provisória) concedida na última quarta (23) por Rosa Weber à oposição. Apesar de o PT ter desistido de recorrer, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciou nesta quinta (24) que vai tentar reverter a liminar na Suprema Corte.

“Estamos aguardando uma reflexão melhor, do Supremo Tribunal Federal. A decisão da ministra é liminar [provisória], o plenário ainda vai se posicionar. Tudo tem que dar tempo. Vamos fazer uma reflexão. O que está pacificado é que temos que apurar de uma forma ou de outra o caso Alstom”, ponderou Vicentinho ao G1.

Por outro lado, Humberto Costa alega que a melhor estratégia para pressionar o PSDB, principal legenda oposicionista, é protocolar o requerimento de CPMI sobre o Metrô paulista até o dia 20 de maio, data em que deve ocorrer a próxima sessão do Congresso Nacional (conjunta da Câmara e do Senado).

A intenção dos senadores petistas é tentar restringir ao Senado as investigações sobre a Petrobras, já que a base aliada tem ampla maioria na Casa. Já com relação às denúncias contra a oposição, o PT defende a criação de uma comissão mista, que incluiria tanto deputados quanto senadores.

“Isso [de esperar para criar a CPMI] é a opinião dele [Vicentinho]. A opinião nossa, até agora, da base do governo no Senado, é que é para fazer logo. A nossa posição é fazer a CPI da Petrobras no Senado e uma CPI mista sobre o metrô de São Paulo”, ressaltou Humberto Costa.

Coleta de assinaturas

O líder do PT no Senado começou nesta quinta-feira a coletar assinaturas para criar a comissão mista do metrô de São Paulo. Para protocolar o pedido de CPI, é necessária a adesão de 27 senadores e 171 deputados.

O autor do requerimento, deputado Paulo Teixeira (PT-SP), disse ao G1 que, até o momento, já obteve 167 assinaturas na Câmara, quatro a menos do que o mínimo exigido pelo regimento interno. “Acredito que, no início da semana que vem, já teremos as 171 assinaturas necessárias”, enfatizou.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas