Postagem em destaque

Após atrasos, 200 casas populares são entregues sem água e energia

Moradias foram financiadas pela Caixa Econômica Federal, em Itumbiara.
Banco diz que não liberou entrega, mas prefeitura alega que teve autorização.


Do G1 GO, com informações da TV Anhanguera

Futuros moradores das 200 casas do Conjunto Habitacional Morada dos Sonhos, em Itumbiara, no sul de Goiás, reclamam que as moradias foram entregues sem água e energia elétrica. Além disso, algumas ruas não têm asfalto e a lama impede a circulação em determinados trechos.


Algumas ruas do residencial não têm asfalto e estão tomadas pela lama (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Algumas ruas do residencial não têm asfalto e estão tomadas pela lama (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
O ajudante de armazém Fransérgio Divino Ventura da Silva é um dos beneficiados. Apesar de estar com a sonhada chave nas mãos, ele ainda não pôde se mudar com a família. “Falta água, energia, o asfalto. Tudo isso está no contrato e eles não fizeram”, disse. Enquanto a água não chega às torneiras das residências, há vazamentos nas ruas, o que agrava ainda mais a situação da lama.

A construção das casas foi iniciada em 2010. Elas foram financiadas pela Caixa Econômica Federal (CEF), por meio de recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e pelo programa operações coletivas com a Prefeitura de Itumbiara, que ficou responsável pela obra.

Desde o início dos trabalhos foram registrados atrasos. A diretoria de Habitação da prefeitura chegou a alegar que enfrentou dificuldades para conseguir mão de obra e, por isso, o cronograma de obras atrasou. De 2010 para cá, os futuros moradores continuaram pagando as parcelas de R$ 100 mensais pelos imóveis. “Foram cinco ou seis promessas de entrega das casas. Todo esse tempo, será que já não deu tempo da água e energia estarem instaladas? Precisamos que as autoridades resolvam isso para a gente”, afirmou o motorista Fabiano Costa.

De acordo com a CEF, ao vistoriar o local, no último dia 10 de março, as irregularidades constatadas impediram a autorização de entrega das casas. Porém, a prefeitura cedeu as chaves mesmo assim. A assessoria de imprensa do banco informou, em nota, que vai acionar os responsáveis da administração municipal para que os problemas sejam solucionados.

Já o diretor de Habitação de Itumbiara, Eurípedes Silveira, disse que vai procurar a CEF para contestar a informação de que as casas não estão prontas. Segundo ele, na data da vistoria do banco, uma equipe da entidade teria fornecido um laudo que autorizava a entrega das moradias.

Novamente questionada, a CEF confirmou que esse laudo foi entregue, mas disse que ele atestava que apenas 93% das obras estavam concluídas. No entanto, o banco ressaltou que o documento não autorizava a entrega das casas, em função de itens de infraestrutura básica, como água e energia.

A Companhia Energética de Goiás (Celg) informou que a rede de energia ainda não foi instalada no residencial por falta de entrega da documentação necessária. A prefeitura, por sua vez, disse que todos os dados que faltavam já foram enviados para a Celg.

Sobre a rede de água, a Companhia de Saneamento de Goiás (Saneago) disse que a rede já começou a ser instalada e que os trabalhos serão concluídos em breve. A empresa também ressaltou que o vazamento de água constatado no local já foi reparado.

0