Postagem em destaque

ONG divulga ranking de corrupção no mundo; Brasil fica na 69ª posição

FOLHA DE SP
DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

A ONG Transparência Internacional divulgou hoje um ranking global de corrupção, no qual coloca a Somália como o país mais corrupto do mundo, seguida pela Coreia do Norte e pelo Afeganistão.

Os países mais transparentes, segundo o relatório, são a Dinamarca, a Finlândia e a Nova Zelândia. O Brasil subiu quatro posições, chegando ao 69º lugar com 43 pontos, mas ainda atrás de outros países latino-americanos, como Costa Rica, com 54 pontos e no 48º lugar, e de Cuba, em 58º.

O Índice de Percepção da Corrupção (CPI, na sigla em inglês), elaborado anualmente pela organização, teve pouca variação em relação aos anos anteriores.

Em comunicado, a ONG cobrou da opinião pública mundial uma postura mais incisiva em favor da transparência desde o Oriente Médio até a Ásia e a Europa, locais em que houve poucos avanços e, em alguns casos, até retrocessos.

A organização adverte que apenas um terço dos 176 países estudados aprovam a análise, apesar de os apelos dos cidadãos contra práticas de corrupção terem ganhado força em todo o mundo com o impulso da Primavera Árabe.

"Isso mostra que as instituições públicas devem aumentar sua transparência, e que os funcionários devem prestar contas de maneira mais rigorosa", diz o comunicado.

Em uma escala que vai de 0 (absolutamente corrupto) a 100 (muito transparente), Dinamarca, Finlândia e Nova Zelândia alcançaram 90 pontos, enquanto Somália, Coreia do Norte e Afeganistão somaram oito pontos cada.

Sobre esses últimos, a Transparência Internacional assinalou que a ausência de instituições públicas eficazes e líderes que prestem contas de suas ações ressaltam a necessidade de adotar uma postura muito mais firme ante a corrupção.

Na América Latina, apenas quatro dos 20 países analisados ultrapassam os 50 pontos. A Venezuela e o Paraguai são percebidos como os países mais corruptos, enquanto Chile e Uruguai se mantiveram os líderes em transparência.

Entre os países europeus, a Espanha fica na metade da tabela, abaixo dos países nórdicos e das nações do centro do continente, mas acima dos países do Sul e do Leste.

A Grécia é o país da União Europeia com pior pontuação, com apenas 36 pontos.

De acordo com a ONG, os países que obtiveram os resultados mais insatisfatórios na região foram aqueles que foram mais gravemente afetados pela crise econômica e financeira e reiterou que a Europa deve abordar os riscos de corrupção no setor público para superar a crise.

Entre as grandes potências se destacam a China (39), na 80ª colocação, e os Estados Unidos (73), que passaram do 24º para o 19º posto, enquanto a Alemanha (79) e o Japão (74) ficaram na 13ª e 17ª colocações, respectivamente.

Para realizar esta lista, que reflete apenas a percepção da corrupção, desde 1995 a ONG se baseia em dados recolhidos por 13 instituições internacionais, entre elas o Banco Mundial, os bancos asiático e africano de desenvolvimento ou o Fórum Econômico Mundial.
0