Prefeito demite secretário após vídeo com suspeita de caixa 2


FELIPE BÄCHTOLD

O prefeito de Curitiba, Beto Richa (PSDB), demitiu um secretário municipal e dois servidores que ocupavam cargos de confiança, em meio à divulgação de um vídeo que compromete políticos que o apoiaram em 2008.

Segundo o jornal "Gazeta do Povo", um vídeo gravado em 2008 mostra candidatos a vereador do PRTB recebendo dinheiro que não foi contabilizado na campanha. O "Fantástico" exibiu ontem trechos da gravação.

Durante o processo eleitoral, 28 candidatos a vereador do partido em Curitiba desistiram de concorrer e preferiram apoiar Richa a Fabio Camargo (PTB). Todos acabaram expulsos do PRTB.

Na última quinta-feira, foram demitidos o secretário municipal de Assuntos Metropolitanos, Manassés Oliveira, o superintendente da secretaria, Raul D'Araújo Santos, e Alexandre Gardolinski, que trabalhava na Secretaria do Trabalho. É ele quem aparece no vídeo entregando dinheiro, diz a "Gazeta do Povo".

O coordenador financeiro da campanha de Richa, Fernando Ghignone, chamou a divulgação do material de "farsa" e "armação". Para ele, o comitê formado por dissidentes do PRTB tinha atuação independente e a coordenação de campanha tucana não tem acesso a informações de gastos desse tipo.

Ghignone diz que toda a prestação de contas foi encaminhada ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral) e aprovada. Afirma que "jamais iria usar um expediente" como dar dinheiro em troca de apoio. O procurador regional eleitoral do TRE-PR, Néviton Guedes, diz que vai analisar o conteúdo do vídeo e então decidir se inicia uma ação sobre o caso.

Para o presidente estadual do PRTB, Marino Teixeira, o vídeo explica a decisão dos candidatos a vereador de aderir à candidatura tucana. A Folha não conseguiu localizar ontem os três demitidos. Gardolinski disse à "Gazeta" que o dinheiro foi entregue para custear eventos que os ex-candidatos promoveram durante a campanha e que não houve prestação de contas desses gastos.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas