Pente fino no Bolsa Família

TCU pede que polícia e governo investiguem fraude no programa

O Dia

Brasília - O Tribunal de Contas da União (TCU) quer que a Polícia Federal (PF), o Ministério Público e a Controladoria Geral da União (CGU) investiguem as denúncias de fraudes no Programa Bolsa Família. O TCU enviou aos três órgãos cópias do relatório que revelou desvio de R$ 318 milhões anuais do programa. De acordo com o documento, 577 políticos eleitos seriam beneficiários do Bolsa Família. Os nomes dos envolvidos porém não foram divulgados. Até agora, 172 políticos já tiveram o benefício cortado. No total, auditoria revelou que 312 mil benefícios são pagos irregularmente.

O Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) vai rever os cadastros de todos os citados no relatório do TCU. Os envolvidos nas suspeitas terão de se recadastrarem no programa. As prefeituras terão até o dia 31 de agosto para recadastrar 3,4 milhões de famílias que estão com dados desatualizados há mais de dois anos. No Estado do Rio, Nova Iguaçu e Campos já começaram o trabalho. O MDS vai implantar no segundo semestre sistema integrado com a Caixa Econômica para facilitar o bloqueio imediato de benefícios suspeitos.

Após dois anos pedindo o Bolsa Família, conforme O DIA mostrou ontem, a catadora de sucata Marcela dos Reis, 29 anos, moradora de Nova Iguaçu, pôde ontem comemorar. Ela conseguiu ser incluída no programa e vai receber R$ 82 por mês. “Consegui”, festejou ela, ontem, com o filho Vanderson, no colo, ao ser informada que seu nome tinha sido incluído no Sistema de Benefícios ao Cidadão (Sibec), da Caixa.

Marcela disse que já estava desistindo. “Cumpri as exigências, mas toda vez que eu ia no posto, era a mesma ladainha: ‘não tem nada pra você’. Eu ficava passando necessidade, comendo às vezes angu com arroz. Cheguei a vender a televisão que comprei com prestações a perder de vista, só para não deixar o meu filho passar necessidade”, contou ela.

Benefício ajuda dona de casa a manter o filho

A vizinha de Marcela, Thaís de Souza, 19, não teve a mesma sorte. Com dois filhos e grávida de 3 meses, ela sonha com o Bolsa Família mas ainda não solicitou o benefício porque não tem dinheiro para a passagem até o posto de cadastramento em Nova Iguaçu. Já a dona de casa Sandra Maria Souza, 43, sabe da importância do benefício. Ela diz que os R$ 40 por mês que recebe do programa ajudam a manter a casa e o filho Ezequiel.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas