Postagem em destaque

Operação carro-pipa contra estiagem erra o alvo

Governo distribui água para regiões alagadas e ignora afetadas pela seca Brasília

JB

O Ministério da Integração Nacional, por meio da Secretaria Nacional de Defesa Civil, liberou nesta semana R$ 21 milhões para o Programa Emergencial de Distribuição de Água, mais conhecido como operação carro-pipa, que abastecerá 503 municípios. Nenhuma das cidades beneficiadas, no entanto, está na região Sul do país, atingida pela estiagem desde o início do mês.

De acordo com a Sedec, as cidades que receberão os recursos estão nos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. Curiosamente, a maior parte destes estados são atingidos pelas chuvas fortes que já afetaram quase 800 mil pessoas na região. Municípios de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná, atingidos pela seca, não foram beneficiados pela operação.

Em Santa Catarina, ao menos 94 municípios decretaram situação de emergência em decorrência da falta de chuva. De acordo com o governo, a seca já atinge mais de 1 milhão de habitantes.

No Rio Grande do Sul, 177 municípios decretaram situação de emergência devido à estiagem. A estimativa preliminar é de que mais de 300 mil pessoas são afetadas pela seca no estado. O número, porém, deve ser superior, já que as Defesas Civis Municipais de 50 cidades ainda não passaram informações de pessoas afetadas para o órgão estadual.

Chuvas

Balanço divulgado pela Sedec aponta que aproximadamente 797 mil pessoas já foram afetadas pelos desastres provocados por fortes chuvas e enchentes no Norte e Nordeste. Até esta quinta-feira, 31 pessoas morreram em decorrência das chuvas nos estados, sendo 12 no Ceará, nove no Maranhão, quatro em Alagoas, cinco no Amazonas e uma em Santa Catarina. Existem ainda mais seis casos de mortes em Salvador, que ainda não foram contabilizados pela Sedec.

Os danos causados pelo excesso de chuva atingiram 283 municípios em dez Estados: Ceará, Maranhão, Piauí, Paraíba, Rio Grande do Norte, Bahia, Alagoas, Amazonas, Pará e Santa Catarina.

A Sedec enviou cestas de alimentos, material de limpeza e kits de abrigo, como lonas. Foram disponibilizadas 92.150 cestas de alimentos, de 23 kg cada, compostas por arroz, feijão, açúcar, óleo, leite em pó, farinha de mandioca e macarrão. Um total de 1,3 milhões de itens como colchões, cobertores, travesseiros, fronhas lençóis, filtros, lonas e mosquiteiros foram enviados às regiões onde a chuva fez estragos.

No Nordeste, o Ceará, atualmente, é o estado que tem o maior número de municípios atingidos (69), seguidos pelo Maranhão (64), Piauí (33), Paraíba (19), Rio Grande do Norte (15), Bahia (4) e Alagoas (3). Até hoje cerca de 220 pessoas no estado foram afetados de alguma forma pelas enchentes, enxurradas e desabamentos.

No Maranhão, a população afetada chega a 167.883 pessoas, com 33.034 desalojados e 24.934 desabrigados. No Piauí e no Rio Grande do Norte, a chuva afetou a vida de 59.745 e 44.193 pessoas, respectivamente.

Na região Norte, o Estado do Amazonas tem 38 municípios atingidos, com 265.958 pessoas afetadas. Destas, 44.609 estão desalojadas e 9.629 desabrigadas, de acordo com a Sedec. No estado do Pará, a Defesa Civil estadual informou ontem que subiu para 32 o número de cidades em situação de emergência devido às chuvas. O órgão contabiliza 33 mil famílias afetadas, ou cerca de 170 mil pessoas.

A governadora do Pará, Ana Júlia Carepa, pediu ontem ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva a liberação R$ 85 milhões para obras de infraestrutura no estado. Segundo a governadora, a solicitação será avaliada pelo ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima. (Com agências)

 

0