Sebastião Curió é condenado por improbidade

Frederico Vasconcelos

O ex-prefeito de Curionópolis (sudeste do Pará) Sebastião Curió foi condenado ao pagamento de R$ 1,1 milhão por atos de improbidade administrativa entre 2001 e 2004, durante sua penúltima gestão como prefeito do município. O Ministério Público Federal no Pará informa que a decisão da Justiça Federal em Marabá, publicada nesta quarta-feira (25/3), suspende os direitos políticos de Curió por cinco anos. Cabe recurso da decisão. O blog não conseguiu localizar o ex-prefeito.

A ação contra Curió e o então secretário de finanças do município Wilson da Silva Marques foi ajuizada em setembro de 2006. As acusações contra Marques foram rejeitadas.

Tenente-coronel da reserva e um dos responsáveis pelo fim da guerrilha do Araguaia, Curió teve cassado em 2008 o mandato de prefeito de Curionópolis, cidade fundada por ele. Foi condenado por compra de votos e abuso do poder econômico.

O juiz federal Carlos Henrique Haddad considerou que houve enriquecimento ilícito do ex-prefeito, que foi acusado de fraudar licitações e ferir os princípios de honestidade e legalidade na administração pública.

As acusações foram levadas ao MPF em 2004 pelo então vereador em Curionópolis Wenderson Chamon, hoje prefeito do município. As irregularidades foram praticadas principalmente com verbas do Fundef (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério). Entre as fraudes apontadas, há a contratação de empresas fantasmas, uso de notas fiscais falsas, processos licitatórios irregulares.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas