Kassab gastou mais em publicidade que em obra antienchente

A prefeitura gastou mais neste ano com publicidade do que com prevenção a enchentes.


Só para propaganda da gestão Kassab estão previstos R$ 32,2 milhões para o ano. Já foram gastos e pagos, entre janeiro e 15 de março, R$ 19,3 milhões, 59,96% do total. Os dados da execução orçamentária estão disponíveis no site da Secretaria de Planejamento.

Os números não consideram as despesas com impressão do "Diário Oficial" e a verba de propaganda da Câmara.

Já em prevenção a cheias foram gastos R$ 17 milhões, 5,02% do total para o ano. O valor se refere ao que foi pago. A administração já empenhou R$ 120,1 milhões para obras anti-inundações. O empenho é feito na contratação do serviço.

O Orçamento prevê R$ 338,5 milhões para obras de combate às enchentes neste ano. Até agora, a prefeitura empenhou 35,51% desse total. De publicidade, já foram empenhados 93,67% do total previsto. A prefeitura diz que a comparação entre as duas áreas é indevida.

Outro lado

A Prefeitura de São Paulo afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que parte dos gastos com publicidade deste ano foi usada justamente na prevenção de enchentes.

De acordo com a prefeitura, as campanhas publicitárias destinadas a alertar os moradores sobre as formas de prevenir enchentes consumiram R$ 5,5 milhões em 2009.

Chuvas

O temporal que atingiu São Paulo nesta terça-feira provocou 60 pontos de alagamento na cidade e deixou dezenas de pessoas ilhadas em suas casas e veículos. Por volta das 21h, no entanto, a chuva havia perdido intensidade e o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências) decretou o fim dos estados de atenção e alerta na cidade --a escala passa por observação, atenção, alerta e alerta máximo.

O empresário Ciro de Souza Nogueira, 81, um dos fundadores da Brinquedos Bandeirantes, morreu de parada cardiorrespiratória depois de escapar de seu carro --que estava submerso-- na avenida Luís Inácio de Anhaia Melo, na zona leste de São Paulo.

Segundo informações da Polícia Militar, o empresário chegou a receber os primeiros socorros por moradores de uma casa na altura do número 2.367, mas não resistiu.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, até as 21h, o órgão havia recebido cerca de 60 pedidos de resgate de pessoas ilhadas em áreas alagadas. Algumas pessoas tiveram de ser resgatadas em botes, pois muitas vias estavam intransitáveis.

Um helicóptero da Polícia Militar também auxiliou no resgate de pessoas ilhadas na avenida do Estado, no Cambuci (região central de São Paulo).

De acordo com os bombeiros, no início da noite, o helicóptero da PM foi acionado porque passageiros de ônibus e de carros ficaram ilhados em cima dos veículos e o carro da corporação não conseguia chegar ao local.

Trânsito

Com as chuvas, São Paulo teve o maior congestionamento do ano: 201 km às 19h, ou 24% das vias monitoradas. O recorde anterior do ano era de 188 km de lentidão, registrado no último dia 6 de março, quando também choveu em São Paulo.

Por volta das 21h15, o congestionamento havia diminuído, mas continuava alto: 124 km de lentidão, ou 15% das vias monitoradas.

Na noite de hoje, a Secretaria Municipal de Transportes informou que o rodízio de veículos foi suspenso na cidade no período da tarde devido às chuvas. Nesta quarta-feira (18), no entanto, o rodízio volta a funcionar normalmente.

Rodovia

Por volta das 16h, a Ecovias (concessionária que administra o sistema Anchieta-Imigrantes) bloqueou todas as pistas da via Anchieta --no sentido São Paulo e litoral-- devido ao transbordamento do Ribeirão dos Couros, na altura do km 13 da via. Cerca de 4 horas depois, apenas o sentido litoral tinha sido liberado, mas ainda havia lentidão na região.

A alternativa para o motorista que está no sentido São Paulo é utilizar a saída do km 23 ou km 18.

Trens

A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) de São Paulo interrompeu a circulação das linhas dos trens da linha 10-Turquesa (Luz -Rio Grande da Serra), nesta terça-feira, devido às chuvas.

A linha está interrompida entre as estações da Luz, na região central de São Paulo, e Santo André, desde as 17h30.

No trecho entre Capuava e Rio Grande da Serra, os trens circulam sem restrição, segundo a CPTM. A operação será normalizada assim que o nível da água baixar, segundo a empresa.

Com os problemas nos trens, os usuários do metrô enfrentaram vagões lotados. Para atender a demanda, o Metrô informou que deve estender seu horário de funcionamento, até que o fluxo de passageiros volte ao normal.

Energia

O temporal também deixou pontos sem energia elétrica em várias cidades da Grande São Paulo e em seis bairros, além da região central da cidade de São Paulo.

De acordo com a Eletropaulo (concessionária de distribuição de energia), há trechos sem energia elétrica nos bairros de Pirituba, Casa Verde, Pinheiros, Vila Clementino, Jardim Aeroporto, Planalto Paulista e centro.

Carros alagados

A chuva de hoje provocou ainda o alagamento do pátio onde ficam os carros novos da Ford, na unidade de São Bernardo (Grande São Paulo). A empresa informou que ainda está calculando os prejuízos e o número de veículos atingidos pelas águas.

A fábrica de São Bernardo produz os modelos Ka e Courrier. Pelas imagens, no entanto, há mais unidades do Ka entre os veículos atingidos pelas águas.

Previsão

De acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), das 15h às 18h, choveu cerca de 50 mm --a média para o mês de março é de 178 mm.

Para esta quarta-feira (18), o instituto prevê mais pancadas de chuvas isoladas na cidade de São Paulo.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas