Postagem em destaque

Coronel da PM é preso no Rio por publicar artigo sobre os "bicos" feitos por policiais



DIANA BRITO
no Rio

Um dos policiais militares mais antigos do Rio, o coronel Ronaldo Antonio de Menezes se apresentou na manhã desta terça-feira ao 4º CPA (Comando de Policiamento de Área) em Niterói (RJ) para cumprir quatro dias de prisão disciplinar. A punição foi determinada pelo comandante-geral da Polícia Militar, coronel Gilson Pitta Lopes porque Menezes criticou a corporação ao mencionar em um blog que a segurança pública está deteriorada com o crescimento de profissionais do setor realizando serviços irregulares, os chamados bicos.

Filho de um capitão da PM e pai de um tenente e de um aspirante, o coronel Menezes comandou dez unidades da Polícia Militar e atualmente está na Diretoria Geral de Pessoal, sem cargo específico. Segundo a PM, Menezes foi transferido para o setor após participar de movimento de reivindicação dentro da corporação, que ficou conhecido como Grupo dos Barbonos

O ex-comandante-geral da PM, coronel Ubiratan de Oliveira Angelo acompanhou o coronel Menezes durante sua apresentação. Segundo Ubiratan, Menezes afirmou que não se arrepende do que escreveu porque não criticou ninguém e nem se direcionou a uma determinada pessoa.

"O que ele fez foi colocar em um blog, um fato que todo mundo vê e que é uma constatação, ou seja, o bico é uma perversidade para o policiamento e é necessário que medidas sejam tomadas. Ele não criticou ninguém, apenas exerceu um direito dele, que está amparado pelo artigo 5º da Constituição Federal, que garante a livre expressão de pensamento", afirmou o coronel da reserva remunerada da PM, Ubiratan Angelo, que atualmente é secretário municipal de Ordem Pública da Prefeitura de Armação dos Búzios (RJ).

Ainda segundo Ubiratan, Menezes iria comemorar na próxima sexta-feira (13), com amigos da corporação, 35 anos de carreira na Polícia Militar. "Infelizmente, ele não poderá comemorar seus 35 anos de polícia porque estará preso no CPA, onde também foi comandante. Por ele ser uma pessoa com a ficha limpa e que luta por melhorias na corporação, eu não poderia deixar de me solidarizar neste momento", comentou o ex-comandante.

Sem mencionar detalhes da punição contra o coronel Menezes, a assessoria da PM informou em nota apenas que "o fato consistiu numa transgressão disciplinar militar".
1