Postagem em destaque

Alunos sem professor em Ciep na Baixada

Pais acham que eles saíram da escola, mas Estado diz que estão faltando



Bruno Cunha

Rio - A falta de professores de quase todas as disciplinas está deixando sem aulas mais de 500 alunos de 1ª a 7ª séries do Ciep Edival Gueiros Vidal, na localidade de Santa Tereza, no bairro Parque São José, em Belford Roxo. Cansados de ver os cadernos em branco, pais e filhos protestaram na porta da unidade ontem pelo início do ano letivo, previsto para o dia 9 de fevereiro. Eles reclamam da falta de informações e acreditam que os professores tenham saído da escola por causa do difícil acesso. A Secretaria Estadual de Educação, no entanto, explicou que os professores não saíram da escola, mas estão faltando às aulas. A unidade fica a cerca de um quilômetro do ponto de ônibus e a rua não tem asfalto.

A secretaria informou ainda que desconhecia o problema e já determinou que os professores faltosos retornem. Segundo o órgão, as aulas serão repostas nas férias.

Segundo pais e alunos, apenas os professores de História e Ciências permanceram na unidade, que tem cerca de 130 alunos de 5ª a 7ª séries de manhã, e 400, de 1ª a 4ª, à tarde. “Minha filha só tem essas duas aulas. Diz que passa o resto do tempo jogando bola no pátio”, conta doméstica Maria Diva da Silva, 46 anos, referindo-se à filha Yasmim, de 13.

Maria Diva conta que enfrentou o problema em 2007 no Ciep. Ela transferiu os filhos, mas agora recorreu de novo à escola, porque é mais perto de sua casa. “Em 2007, só teve aulas em junho e não houve férias”, lembrou.

Para não deixar os filhos de 6 e 8 anos totalmente sem estudo, a dona de casa Carmem Lúcia Borges, 45 anos, colocou-os em uma explicadora. “Mas pesa muito no orçamento e não é mesma coisa. Assim, não conseguirão boas colocações no futuro”, preocupou-se.

Obra longa demais em escola de Nova Iguaçu

Pais de alunos cobraram, ontem, o término da reforma da Escola Municipal Capitão Silvino Azeredo, no bairro Cruzeiro do Sul, em Nova Iguaçu. Segundo eles, a obra foi iniciada há quatro anos e os estudantes foram transferidos para um Ciep no bairro Engenho Pequeno.

A costureira Iza Maria Ribeiro, 49 anos, integrante do Conselho Educacional de Pais, disse que há dois anos a escola está quase pronta e, mesmo assim, a obra não é concluída. “O Ciep é distante. Fica a 20 minutos a pé da escola. Os alunos chegam cansados e sem ânimo para estudar, acabam desmotivados a freqüentarem as aulas. Por causa disso, o número de matriculados já caiu de 250 para 150”, disse.

A Prefeitura de Nova Iguaçu negou as alegações dos pais e informou que a obra começou há cerca de um ano e técnicos constataram que havia necessidade de demolir o antigo prédio. Segundo o órgão, a escola será entregue em 15 dias, pois resta apenas instalar portões e vidros nas janelas.

0