PF cumpre mandados contra executivos da Casa e Vídeo

Agentes da PF e da Receita Federal estão nas ruas para cumprir 20 mandados de busca e apreensão e 14 de prisão contra executivos da Casa e Vídeo, um dos maiores grupos varejistas do estado.

A acusação é de venda de produtos contrabandeados.


A operação acontece no Rio e no Espírito Santo. Os agentes estiveram em escritórios, lojas da Casa e Vídeo, além de depósitos e até nas casas dos executivos da empresa. Segundo a Polícia Federal, a operação é resultado de um ano de investigações. O grupo é suspeito de fraudar a importação de mercadorias e sonegar impostos. As acusações incluem também evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

Ainda de acordo com as investigações, há indícios de ligação com empresas sediadas em paraísos fiscais. Segundo a Polícia Federal, dos 14 mandados de prisão decretados, 13 já foram cumpridos.

Um executivo da Casa e Vídeo continua foragido. As prisões são temporárias por 30 dias. Se condenados, os acusados podem pegar penas que chegam a mais de 20 anos de prisão. O RJTV conversou com José Carlos Sabino Alves, superintendente adjunto da Receita Federal do Rio.

RJTV – O material contrabandeado que foi apreendido nos depósitos chega a que quantidade?

José Carlos – Estamos fazendo uma estimativa de em torno de 80 carretas apreendidas no depósito central e em diversas lojas em que nossas equipes estão atuando junto com a Polícia Federal.

Qual era exatamente o crime?

Na verdade há uma blindagem patrimonial em que a empresa se utiliza de outras empresas conhecidas como laranjas para fazer importações de produtos da China e que a verdadeira empresa não aparece em momento nenhum. Com um trabalho de investigação interno da PF em conjunto com a polícia, com trabalho de inteligência nós conseguimos verificar que a empresa tinha utilizado os métodos laranja para fazer importação.

Há também crime previdenciário?

Sem dúvida. Eles conseguiram uma blindagem patrimonial e tem uma dívida de 40 milhões de contribuições previdenciárias que a empresa estaria devendo que a União estaria impossibilitada de fazer a execução desse débito que é a contribuição para os trabalhadores porque a empresa não apresenta patrimônio, não sabemos que são os sócios, não tem quase nada em nome da própria empresa.

A empresa Casa e Vídeo foi procurada, mas a assessoria não quis fazer declarações.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas