Postagem em destaque

Mesmo na cadeia, Carminha poderá ser diplomada com procuração



Rio - A vereadora eleita Carminha Jerominho (PTdoB) tentou ontem mais um recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que poderá colocá-la nas ruas ainda esta semana. Ontem, o advogado Flávio Fernandes entrou com pedido de reconsideração da decisão do tribunal que manteve na cadeia a filha do vereador Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho (PMDB).

Carminha foi presa em agosto acusada de ser beneficiária de um curral eleitoral formado pela Liga da Justiça — grupo miliciano que seu pai chefiaria, segundo a polícia. Na representação feita ao TSE, o advogado argumenta que não há motivo para Carminha continuar presa já que seria impossível coagir eleitores com a votação encerrada. Segundo Fernandes, a decisão do tribunal sairá quarta-feira.

POSSE GARANTIDA

Mas, mesmo que continue detida na Penitenciária de Catanduvas, no Paraná, Carminha poderá tomar posse na Câmara. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral, ela pode receber a diplomação na cadeia por procuração. Na Câmara, o entendimento é de que, caso diplomada, Carminha terá garantido o seu lugar na Casa, mesmo que não possa comparecer ao dia da posse, em 1º de janeiro. “Em momento algum foi objetivo induzir o eleitor a não votar em algum candidato. O voto foi livre. Cada povo tem o governo que merece”, afirmou o desembargador Alberto Motta Moraes, presidente do TRE.

CPI cobrará medidas contra Girão

O presidente da CPI das Milícias, na Assembléia Legislativa, deputado estadual Marcelo Freixo, vai se reunir esta semana com o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, para discutir a eleição do sargento do Corpo de Bombeiros, Cristiano Girão (PMN). O militar é investigado por chefiar a milícia de Gardênia Azul, em Jacarepaguá, e já prestou depoimento na comissão como suspeito. Freixo quer uma resposta da polícia sobre a situação de Girão.

“O fato de estar eleito não impede que ele seja preso. Estou indo ao secretário para exigir uma ação mais ousada da polícia contra ele. Vereador não tem qualquer tipo de prerrogativa de função”, afirmou Freixo. Girão responde a um inquérito de 2004 por extorsão e envolvimento com grupo de extermínio. Segundo o deputado, a investigação que vinha sendo feita pela Delegacia de Homicídios da Zona Oeste foi transferida para a 32ª DP (Taquara). O bombeiro não quis comentar as acusações.

Hoje, a CPI ouvirá o depoimento do vereador eleito Elton Babu e seu irmão, o deputado estadual Jorge Babu, ambos do PT.

PF ACIONADA PARA 471 OCORRÊNCIAS

A Polícia Federal divulgou ontem o balanço de ocorrências durante as eleições. Em todo o País foram feitos 471 irregularidades, sendo 80 flagrantes e 391 ocorrências de crimes com menor potencial ofensivo, cujas penas não ultrapassam dois anos.

A maioria das ocorrências foi por prática de crime eleitoral. Ao todo, 640 pessoas foram conduzidas para prestar esclarecimentos por delitos diversos como uso de alto-falantes, boca-de-urna e divulgação partidária irregular. Policiais federais detiveram outras 186 pessoas e fizeram 655 apreensões. Algumas pessoas foram surpreendidas com dinheiro em espécie, que foi apreendido.

Este ano, a PF contou com um programa da Divisão de Assuntos Sociais e Políticos (Dasp), que integrava em tempo real as ocorrências em todo o Brasil.
0