Marta e Maluf estão na lista de candidatos com ficha suja da Associação de Magistrados



SÃO PAULO - Candidatos à Prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy (PT) e Paulo Maluf (PP) estão na lista de candidatos com ficha suja divulgada nesta tarde pela Associação dos Magistrados do Brasil (AMB). A entidade listou em seu site os nomes dos candidatos que respondem a processos na Justiça, de origem criminal ou eleitoral.

Marta Suplicy está na lista por responder a um processo por crime da Lei de Licitações. Já Paulo Maluf, por responder a quatro ações penais e a três ações de improbidade administrativa.

Em resposta à citação do nome de Maluf na lista, sua assessoria divulgou uma nota para a imprensa informando que “as acusações nesses processos não tem base legal, jurídica ou administrativa”. De acordo com a assessoria, o Estado de Direito seria melhor conduzido sem politização dos juizes. “Juizes não devem se meter em política. Juiz só fala nos autos”, diz.

A assessoria da candidata do PT foi procurada pela reportagem e deve divulgar um resposta ainda hoje. Junto à lista, a AMB disponibiliza um espaço para que o candidato citado faça algum comentário sobre sua indicação. As primeiras informações publicadas são sobre os candidatos a prefeito e vice-prefeito nas 26 capitais do País.

O banco de dados será alimentado periodicamente com a colaboração dos juízes eleitorais de todo o Brasil. Segundo a AMB, os dados recebidos estão sendo rigorosamente checados para evitar que incorreções prejudiquem qualquer candidato.

De acordo com a entidade, ao organizar os dados, sua intenção é facilitar o acesso da população e da imprensa a informações públicas, que podem balizar e fundamentar a escolha dos eleitores e, assim, contribuir para que as eleições de 2008 transcorram da maneira mais transparente possível.

Políticos réus

Segundo dados divulgados pelo projeto Excelências, da ONG Transparência Brasil, nada menos que 213 dos 513 deputados (41%) têm algum tipo de pendência com a Justiça ou com tribunais de contas.

No Senado – a despeito da diferença que alguns vêem entre seus integrantes e a Câmara – o percentual é praticamente o mesmo: estão nesta situação 33 dos 81 senadores (40%).

Entre os 88 congressistas que são candidatos neste ano, o percentual é menor, 12% - 11 são alvo de inquéritos ou ações penais.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas