Postagem em destaque

Quadrilha do auxílio-educação adulterou cobranças de água e luz



Ricardo Villa Verde

Rio - O Conselho de Ética da Assembléia Legislativa (Alerj) descobriu que os fraudadores do auxílio-educação pago a servidores da Casa falsificaram contas de luz e água utilizadas como comprovantes de residência de assessores fantasmas nomeados para gabinetes de deputados acusados de envolvimento no esquema. Já foram comprovadas duas contas de energia e uma de água falsas, todas de imóveis de Guapimirim.

Uma casa, no bairro Jardim Guapimirim, foi utilizada como se fosse moradia de dois ‘fantasmas’: Jorge Eugênio Soares e Quintino Batista Rodrigues, o Tino do Queijo, nomeados respectivamente para os gabinetes de Anabal (PHS) e de Marcelino D’Almeida e João Pedro, ambos do DEM. Os três deputados estão entre os 11 investigados pelo conselho. Marcelino está licenciado do cargo e foi substituído pelo suplente João Pedro. A conta real de energia da casa está em nome de Maria de Fátima Larajeiras de Medeiros, auxiliar de gabinete de Renata do Posto (PTB), que foi cassada por participação nas fraudes. “Ficou evidente que tudo começava e acabava no gabinete de Renata do Posto”, disse o presidente do conselho, Paulo Melo (PMDB).

Depoimentos contraditórios no conselho

A descoberta do imóvel usado como residência falsa de dois ‘fantasmas’ da Alerj complicou principalmente a situação de Anabal (PHS) e de Marcelino D’Almeida (DEM). O fato da conta de luz real do imóvel estar em nome de uma assessora da ex-deputada Renata do Posto (PTB) ligou os gabinetes dos parlamentares ao principal foco dos fraudadores do auxílio-educação. As investigações do conselho comprovaram que os principais aliciadores do esquema atuavam no gabinete de Renata.

Ontem o conselho ouviu depoimentos de Anabal e de assessores do deputado, além de auxiliares de Marcelino e João Pedro. De um modo geral, todos foram contraditórios. Anabal alegou ter nomeado Jorge Eugênio Soares a pedido do empresário Eli Lopes da Silva, que o ajudou na campanha. Eli, porém, disse, que apenas pediu ao deputado que ajudasse um empregado de sua fazenda. Jorge Eugênio será ouvido pelo conselho terça-feira.

Os assessores de Marcelino e João Pedro acabaram confirmando a versão do segundo, de que as nomeações no gabinete foram feitas pelo deputado licenciado.

SURPRESA: ‘NUNCA OUVI FALAR DESTAS DUAS PESSOAS’

Moradora há mais de 30 anos da casa usada como residência falsa de ‘fantasmas’ em Guapimirim, Luci Rosana dos Santos Costa, 50, se surpreendeu com o fato. “Credo! Nunca ouvi falar nestas duas pessoas”, disse ela, sobre Quintino Batista e Jorge Eugênio, que supostamente morariam na casa. Ela disse que há cerca de oito meses recebeu correspondências em nome de Jorge, mas como pensou que fosse engano dos Correios rasgou-as. Durante a entrevista da dona-de-casa, porém, dois homens em uma moto, um deles usando camisa com inscrição em que era possível ver apenas o sobrenome Do Posto, abordaram a equipe de O DIA em tom intimidador, dizendo que os repórteres não deveriam permanecer na cidade. Guapimirim é a base eleitoral da ex-deputada Renata do Posto (PTB). O prefeito é Nelsom do Posto (PMDB), tio de Renata.

A ex-deputada está tentando retomar o mandato na Justiça. Ela entrou na terça-feira com mandado de segurança no Tribunal de Justiça (TJ). O caso será julgado pelo Órgão Especial do tribunal na segunda-feira.
0