Postagem em destaque

Líder do PMDB na Câmara de Londrina é preso em flagrante por corrupção



JOSÉ MASCHIO
da Agência Folha, em Londrina

O líder do PMDB na Câmara Municipal de Londrina (PR), Henrique Barros, 30, foi preso em flagrante sob acusação de receber propina para facilitar tramitação de projetos no Legislativo municipal.

A prisão ocorreu após Barros receber R$ 9.900 de um empresário. O vereador é investigado há dois meses pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado) do Ministério Público do Paraná.

A prisão ocorreu na tarde de ontem, mas só foi divulgada hoje pela Promotoria. Segundo o promotor Cláudio Esteves, o suposto esquema comandado por Barros --integrante de família tradicional de Londrina-- envolvia a cobrança de dinheiro de empresários para facilitar a tramitação de projetos na Câmara. "Estamos investigando e mais pessoas estão envolvidas no esquema", disse.

O presidente do PMDB de Londrina, deputado estadual Luiz Eduardo Cheida, disse hoje que o partido irá exigir a apuração do caso na Câmara. "O Barros vai perder a liderança do partido e sofrerá punição. Mas o esquema teve projeto aprovado na Câmara e mais vereadores devem estar envolvidos", afirmou.

Segundo Cheida, a punição a Barros será definida na manhã de amanhã, em reunião da Comissão de Ética do diretório do PMDB. Ele disse não descartar a expulsão do líder. "Ele confessou ao Ministério Público sua participação no esquema de cobrança de propina."

No final da tarde de hoje, o advogado Antônio Carlos Coelho Mendes entrou com pedido de liberdade provisória para Barros. Disse ter sido contratado pelos pais do vereador apenas para esse trabalho, e que ainda não sabe se irá fazer sua defesa no caso.
0