Postagem em destaque

CNBB vai denunciar internacionalmente ameaças a bispos do Pará



A CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) informou na tarde desta quinta-feira (10) que vai denunciar internacionalmente as ameaças de morte que três bispos vem recebendo no Pará. A CNBB pede que as autoridades protejam os ameaçados e investiguem as denúncias.

"Exigimos investigações sérias e proteção para os ameaçados. Sua vida é preciosa para o povo que defendem e para nós que lhes somos solidários", informou a CNBB em nota oficial.

De acordo com dom Flávio Giovenale - da diocese de Abaetetuba (PA) e um dos bispos ameaçados - as intimidações tiveram origem no caso da adolescente de 15 anos que foi mantida por 26 dias em uma cela com homens na delegacia do Abaetetuba no final do ano passado.

Ele diz que a diocese já atuava no caso mesmo antes de o escândalo chegar à imprensa. "Nós emprestávamos nosso carro e pagávamos a gasolina para o Conselho Tutelar, que estava sem veículo porque a prefeitura não substituiu o que havia quebrado", diz.

Ele afirma que sua participação no caso cresceu depois de um discurso durante o Sírio de Nossa Senhora da Conceição, principal festa religiosa de Abaetetuba. "Pedi que os responsáveis fossem punidos".

Ele conta que a primeira ameaça aconteceu no dia 4 de dezembro. "Um jovem de aproximadamente 25 anos me parou quando eu saia da diocese e disse: "quando a poeira baixar, vamos acertar as contas"".

A partir de então, outras ameaças - todas por telefone - foram feitas contra membros do Conselho Tutelar e outros dois bispos: dom Erwin Krautler, da diocese de Prelazia do Xingu, e dom José Luiz Azcona Hermoso, de Prelazia do Marajó.

"Em Cristo somos um só com eles e com as pessoas que eles defendem: os povos indígenas; as mulheres, crianças e adolescentes que o tráfico de seres humanos instrumentaliza, que a exploração sexual vende e as drogas matam", diz a nota.
0