Aqui se faz, aqui se paga

Homem que urinou na porta de unidade militar é forçada a limpar sua sujeira


Marcelo Gomes

Nem o grande movimento de pedestres em frente ao Palácio Duque de Caxias, sede do Comando Militar do Leste nem a presença ostensiva de militares patrulhando a área, nem a reunião de comandantes da PM com representantes do gabinete da Presidência da República e das três forças armadas.

Nada disso intimidou um cidadão a urinar num poste na calçada do palácio, bem próximo à sua entrada e ao Pantheon Duque de Caxias, às 15h de ontem.

Sua necessidade era tão grande que, mesmo após a chegada de um militar, o homem não parou de urinar. Um segundo policial do Exército, o tenente responsável pelo patrulhamento no local, aproximou-se do rapaz para repreendê-lo, mas também teve que esperar que ele se aliviasse em pleno passeio público.

A cena atraiu a atenção de pedestres e motoristas. Uma mulher comemorou o fato de que, pelo menos daquela vez a sujeira nas calçadas da cidade não ficaria impune.

— Andar pela Central é conviver com o mau cheiro. Alguns urinam em qualquer lugar. Esse aí se deu mal — festejou a professora Maria Auxiliadora Soares.

— Pega ele — incentivou o motorista de um ônibus que passava pelo local.

O ato custou ao mal-educado uma hora de repreensão de um grupo de militares que atuam na segurança do Palácio Duque de Caxias. Depois desse período, o homem foi levado para dentro da unidade militar, acompanhado de integrantes da Polícia do Exército. Cerca de cinco minutos depois ele voltou, constrangido, carregando um balde com água. Sob a supervisão dos militares, limpou o local no qual urinara.

O GLOBO não pôde entrevistar o homem, que foi embora reclamando por ter sido obrigado a limpar sua sujeira.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas