Boicote ao IPTU une moradores contra a prefeitura do Rio



Contribuintes de oito bairros da Zona Sul e de um bairro do Centro ameaçam não pagar o IPTU em protesto contra o abandono da cidade. As associações de moradores da Gávea, Recreio, Leblon, Botafogo, Humaitá, Lagoa, Copacabana, Laranjeiras, Ipanema e Catumbi já aderiram ao movimento. O representante do Catumbi, Alberto Vieira, denuncia que a população do bairro não recebe o retorno dos impostos, especialmente por parte da prefeitura.

"Não há uma intervenção no catumbi em 16 anos de governo César Maia", acrescentou Vieira.

Apesar de ainda não ter se juntado ao protesto, o presidente da associação de moradores do Méier, Jorge Barata, disse que vai participar da passeata, que será realizada, no domingo, para protestar contra a desordem urbana. Barata informou que vai fazer uma reunião semana que vem, com os associados para decidir se vão aderir ao boicote.

"No Méier a desordem prevalece", critica. "Quiosques tomam conta de calçadas inteiras, na Rua José Veríssimo e não há controle para carga e descarga de mercadorias em nenhuma via".

O presidente da Câmara Comunitária da Barra, Delair Dumbrosck disse que também fará uma reunião na semana que vem para discutir a proposta. Mas Delair assegura que a Barra não está satisfeita principalmente com as promessas não cumpridas da época dos Jogos Pan-Americanos. Porém, na opinião de Delair, não é o melhor momento para protestar e de criar dificuldades que podem prejudicar o serviço.

"Há maneiras próprias de se protestar", ressaltou Delair. "O importante é que todo mundo garanta que vai escolher de certo o próximo prefeito e os vereadores, que também são responsáveis".

Como a Barra e o Méier, os representantes da Tijuca também vão debater a adesão ao movimento nos próximos dias. Maria do Céu Ferreira, presidente da Associação Comercial do bairro, disse que vai ouvir primeiro os moradores.

Horário Magalhães, presidente da Sociedade Amigos de Copacabana, marcou para o fim do mês uma palestra para esclarecer dúvidas sobre o assunto, com a presidente da Comissão Especial de Assuntos Tributários da Ordem dos Advogados do Brasil, Daniela Gusmão.

De acordo com Horário, os moradores demonstraram interesse em pagar o IPTU em juízo devido à desvalorização que os imóveis da região estão sofrendo.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas